ATUALIDADE

CINEMA

EDITORIAL

EVANGELHO

INTERCâMBIO

LIVROS

NOTíCIAS

PALAVRAS & IMAGENS

POESIA


EDIÇÃO ATUAL

EDIÇÕES ANTERIORES

COLABORE

FALE CONOSCO

BLOG


Crianças prodígio e crianças índigo

DA REDAÇÃO

O segundo acidente aéreo de grandes proporções em nove meses no Brasil. Em nossa edição de novembro de 2006, a tese de que o acidente teria sido inevitável causou incômodo em muitos de nossos leitores. A fatalidade do instante da morte, portanto, não pode ser alterada, mesmo que sejamos perfeccionistas nos cuidados do dia-a-dia? Não é bem assim. Se aviões ou radares fossem indefectíveis – se nunca apresentassem defeitos – as pessoas encontrariam a morte de alguma outra maneira. É o que explicam os espíritos a Allan Kardec na pergunta 853 de “O Livro dos Espíritos”. Se a hora da morte ainda não chegou, não pereceremos, “e tens disso milhares de exemplos. Quando, porém, soe a hora da tua partida, nada poderá impedir que partas”.

O mundo da música está curioso com a presença de um novo “prodígio” da arte, o jovem Jay Greenberg, hoje com 16 anos. Aos 3 anos, Jay começou suas aulas de violoncelo. Logo após, aprendeu a tocar piano sozinho, e hoje compõe sem nem ao mesmo recorrer ao papel. O jovem admirável diz que “ouve” todos os instrumentos como se estivessem escritos, e que consegue “ouvir” mais de uma música ao mesmo tempo. Vamos ver o que os gênios farão nos dias atuais, em que as regras, inclusive as da arte, são definidas pelas preferências econômicas. O compositor já tem contrato fechado com a Sony. Que sua arte esteja acima de contratos e obrigações.

Considerando a vida humana como parte de uma grande trajetória espiritual em que o espírito luta para aprender e crescer, o suicídio é o pior equívoco que o ser humano pode cometer, quando ele é vítima da descrença em Deus ou em si mesmo. A estatística oficial sobre o suicídio é surpreendente: acontecem 3 mil casos todos os dias. O número de casos têm aumentado, especialmente nos países ricos. Depois dos 60 anos é quando ocorrem mais casos. Mais do que divulgar a Doutrina Espírita, explicar, de todas as formas possíveis, a realidade da vida espiritual é essencial para que o espírito encarnado resista à idéia enganosa da morte como saída para os problemas.

A vitória da força é uma claridade de fogos de artifício. Toda a realidade é a do Espírito e toda a paz é a do entendimento do reino de Deus e de sua justiça. Emmanuel em “A Caminho da Luz”, psicografia de Francisco C. Xavier

No último mês de setembro o Centro Espírita “Jesus de Nazaré”, localizado em Tremembé, realizou o 12o Encontro da Família, que propôs a análise sobre o atual fenômeno da “normose”, ou seja, do estado psicológico de indiferença quando o indivíduo passa a considerar tudo normal, ainda que prejudicial à vida. Acesse nosso blog e veja fotos e depoimentos sobre o encontro.


Crianças índigo

A Associação Brasileira de Pedagogia Espírita publicou um interessante estudo sobre as crianças índigo.
O estudo, composto por nomes respeitáveis do movimento espírita, como Heloísa Pires e Dora Incontri, mostra a origem da teoria das crianças índigo, suas teses esdrúxulas e a condução que seus autores deram ao assunto: criaram a seita Kryon, que entre outras coisas, promete alterar o DNA de pessoas que nasceram antes de 1987, porque, pelas regras da seita, não poderiam ser índigo.
O curioso é observar a adoção das idéias dessa seita pelo movimento espírita. Argumentam os adeptos que há uma transformação prometida, registrada por Allan Kardec na codificação. Sim, isso está claro. Por que, então, a euforia em torno da novidade?
É mais um modismo que não adicionará nada às nossas vidas.
Acesse o nosso blog e faça o download do estudo realizado pela Associação Brasileira de Pedagogia Espírita.


Leia também:

Encontro da Família de Tremembé
Leia alguns relatos dos participantes do Encontro de Família de Tremembé de 2007